Francisco Grandella amor à primeira vista

Empresário e mecenas!

Um empresário apaixonado

o Título “Francisco Grandella amor à primeira vista” podia ser o nome de um filme, de um livro ou de uma qualquer novela, onde o protagonista seria um dos mais bem-sucedidos empresários em Portugal e a sua paixão assolapada seria o nosso concelho, mais concretamente a vila da Foz do Arelho.

Natural de Aveiras de Cima, Azambuja, Francisco Grandella nasceu a 23 de Julho de 1853, filho do Dr. Grandella e de Matilde Libânia, sendo a totalidade do clã Grandella composto por mais quatro irmãs e mais três irmãos.

E tudo começou quando…

A sua incursão pelo mundo dos negócios começou cedo quando, ainda a estudar, foi indicado pelo pai para ir substituir o irmão mais velho, que estava doente, na Rua dos Fanqueiros, na Baixa de Lisboa, como caixeiro, ocupação que manteve três anos, até regressar a Aveiras de Cima e dedicar-se novamente aos estudos.

Francisco Grandella voltaria a Lisboa nos anos 70 do século XIX, novamente na área do comércio para trabalhar alguns números abaixo na mesma Rua dos Fanqueiros na Baixa Pombalina e onde permaneceu até ao final dessa década, altura em que se despediu.

Em conversa com amigo foi convencido a criar o seu próprio negócio e pouco depois já se encontrava a distribuir cartões da Grandella & Cia e publicitando a abertura na rua da Prata das Fazendas Baratas.

Determinado e convicto das suas ideias e métodos defendia a divisa sempre por bom caminho e segue. Mais tarde, depois colocar em prática algumas medidas inovadoras na publicidade, nas próprias operações de caixa e até na sua perspectiva do que seria o espaço comercial de um estabelecimento comercial, abriu A Loja do Povo a que se seguiu a Novo Mundo numa altura em que procurava espaço para algo com maior envergadura, contemplando num só quarteirão todo uma panóplia de serviços e produtos dentro do mesmo espaço, os Armazéns Grandella.

Este espaço de referência no mundo comercial nacional estava localizado na Rua do Ouro e foi depois ampliado passando a ter ligação com a Rua do Carmo num edifício que era também por si só um monumento de uma grandeza ímpar e demonstrativo da capacidade de Francisco Grandella e dos seus negócios.

Prático e astuto introduziu pormenores tão grandes como um sistema de entregas ao domicílio bem como a distribuição de catálogos, audácia que lhe trouxe enorme retorno, pois permitia a muitos fazer compras nos Grandes Armazéns Grandella sem terem de lá se deslocar, nem sequer precisarem de visitar Lisboa.

O comodismo com que o cliente era presenteado agradava a todos e o país ia pouco a pouco Grandellizando-se, havendo publicidade e referências a Grandella e aos seus armazéns um pouco por todo o lado.

O nosso Rafael Bordalo Pinheiro dedicar-lhe-ia em 1891 um Hino para ser cantado em coro e onde enaltecia Francisco Grandella e a sua obra.

Francisco Grandella, Azulejos Bordalo Pinheiro, Inatel , Foz do Arelho, Gocaldas, o teu Guia Turístico Local

Pode bem dizer-se que as apostas inovadores de Grandella foram a sua diferenciação e constatação da sua visão e do seu vanguardismo … já diz o ditado que a sorte protege os audazes … mas não é menos verdade que a sorte dá muito trabalho … diria Francisco Grandella.

O bónus de tudo isto é que, aumentando o seu império, por muito que a sua vida profissional estivesse rodeada de sucesso, Francisco Grandella nunca estava satisfeito e pensava sempre que para o bem dos seus negócios havia de ser necessários o bem de todos quantos com ele trabalhavam.

Em virtude dessa postura altruísta e filantrópica, ficaria também na história como um dos mais empenhados defensores da instrução popular, não apenas para os familiares dos seus funcionários, para os quais havia criado por exemplo o Bairro Grandella, em São Domingos de Benfica, mas auxiliando também as “Escolas móveis” que levavam a instrução a pontos do país sem escolas, numa altura em que as taxas de analfabetismo eram absolutamente gritantes!

Mais tarde chegou mesmo a financiar a edificação de Escolas, projectos e empreendimentos que seriam mesmo um dos seus maiores legados na sua ligação ao concelho das Caldas.

Francisco Grandella, Escola Primária do Nadadouro, Foz do Arelho, Gocaldas, o teu Guia Turístico Local

A Paixão incontrolável

Francisco Grandella começou a frequentar as termas das Caldas, alegadamente para recuperar de uma fractura numa perna no final do década de 90 do século XIX, tendo por essa altura travado conhecimento com a Foz do Arelho e pela qual arrebatadamente se apaixonou … não terá sido o primeiro, nem único e muito menos o último a quem a Foz causou semelhante sentimento … dizemos nós!

A sua paixão pela Foz do Arelho foi de tal maneira fulminante que rapidamente se sentiu convencido a realizar investimentos, nomeadamente na construção da sua casa de férias, o Palácio Grandella (1898-1907), e cuja localização oferece uma das mais belas vistas da Foz do Arelho. Hoje o Palácio Grandella alberga o INATEL.

Francisco Grandella, Inatel, Foz do Arelho, Gocaldas, o teu Guia Turístico Local

Promoveu o local quer com fotografias nas publicações editada por si (Passatempo e A Cidade e os Campos), quer investindo directamente no desenvolvimento local com a construção de algumas infraestruturas como as escolas, Bernardino Machado na Foz do Arelho (1910) e a França Borges no Nadadouro (1912) e com a Casa do Povo da Foz do Arelho (1912), exemplos significativos da sua filantropia.

Destacou-se assim como um dos maiores promotores da localidade e como um dos maior mecenas no desenvolvimento da localidade, ambicionando criar uma Veneza na Foz, ambição que não se concretizou, mas que não deixou de ser representativo das ambições de Francisco Grandella para o desenvolvimento da vila. A principal rua da Foz do Arelho foi designada Rua Francisco Almeida Grandella e sua homenagem.

No que a Caldas da Rainha diz respeito, para além da preponderância social que alguém com o seu estatuto representava, ponderou e chegou a publicitar na imprensa local a abertura de uma sucursal dos Grandes Armazéns Grandella, projeto que acabou por não concluir visto a sua ambição ter sido travada com a abertura de uma sucursal dos seus concorrentes Armazéns do Chiado na Praça da República em 1914, no edifício onde hoje encontras o Banco Millennium BCP.

Do ponto de vista politico e num período de mudança de regime e em que o republicanismo havia derrotado a monarquia, Francisco Grandella participou activamente fazendo parte do Centro Republicano Miguel Bombarda das Caldas da Rainha, como Presidente da Assembleia Geral, não devendo ser menosprezada a sua proximidade com o governo.

É verdade que do ponto de vista da obra feita, Francisco Grandella não teve a mesma produtividade para connosco como tiveram Rodrigo Berquó ou Rafael Bordalo Pinheiro, mas não é menos verdade que a presença de alguém com a sua importância não deixava ninguém indiferente.

A nossa vila da Foz do Arelho muito lhe deve, ele que terá sido o primeiro forasteiro a construir uma casa na Foz do Arelho, constituindo-se o referido edifício como um ícone do património local.